novamente em ação

CASCAIS: QUE CUIDADOS EM SAÚDE MENTAL

A Câmara Municipal de Cascais – Divisão de Promoção da Saúde, em parceria com o Programa Nacional de Saúde Mental da Direção-Geral da Saúde, o Departamento de Psiquiatria do Centro Hospitalar Lisboa Ocidental (Serviço de Psiquiatria de Adultos e Serviço de Psiquiatria e Saúde Mental da Infância e Adolescência), o Departamento de Saúde Mental do Hospital de Cascais Dr. José de Almeida e o Agrupamento de Centros de Saúde de Cascais – Unidade de Saúde Pública, entenderam ser uma oportunidade a realização em Cascais de um Encontro de Saúde Mental a 20 de Outubro de 2016, no auditório Maria de Jesus Barroso da Casa das Histórias Paula Rego intitulado “Cascais: Que Cuidados em Saúde Mental?”.

A Tarde é Sua_Fátima Lopes – TVI

Veja o testemunho do Horácio Mourão, sobreviveu com ferimentos graves (traumatismo crânio encefálico) a uma emboscada talibã no Afeganistão.

Veja aqui:

1ª parte

2ª parte

 

Celebrámos o Dia do Despertar do Coma

Dia Europeu do Despertar – o Despertar do Coma, o Despertar de Mentalidades e o Despertar de Ideias.

Este evento contou com o apoio da novamente nesta acção de mobilização em Cascais, através da distribuição de balões e panfletos de sensibilização para a deficiência adquirida e os benefícios da atividade física.

Esta acção contou igualmente com a participação de representantes de entidades europeias que estiveram em Portugal.

Da realidade para a ficção…

Recebemos uma visita de uma equipa de filmagens de uma novela que está a passar na SIC. Tivemos muito gosto em participar nesta novela.

Em Fevereiro de 2017, anunciaremos quando os episódios desta participação forem para o ar.

Veja aqui o making of

3º Congresso da Ordem dos Psicólogos Portugueses

Marcámos presença no 3º Congresso da Ordem dos Psicólogos, ao apresentar:

Reintegração Social e Apoio Familiar após traumatismo crânio encefálico

Filipa Pereira – Coordenadora do Grupo de PARES de Lisboa

NOVAMENTE apresenta proposta no Comité Económico e Social Europeu (CESE)

NOVAMENTE apresentou a Convenção dos Direitos das Pessoas com Deficiência e o European Acessibility Act ao CESE.

*Órgão consultivo da União Europeia, composto por representantes das diferentes componentes de carácter económico e social da sociedade civil, designadamente dos agricultores, transportadores, comerciantes e artífices, das profissões liberais, dos consumidores e do interesse geral

Mesa Redonda VII – Gulbenkian

Realizámos a Mesa Redonda VII na Fundação Calouste Gulbenkian, onde salientámos a importância e contexto da novamente e das mesas redondas;

Os pontos chaves de 2016 foram:

A lógica das parcerias, resultados concretos de preocupações debatidas nas mesas redondas:
• Todas as novas politicas, projetos e participações feitas em conjunto ou separado mas fruto da ligação com a novamente e em prol da família da pessoa com dano cerebral.

Avaliação dos resultados dos serviços diretos da novamente:

Apoio continuo (Formação Cuidadores): inquérito a cuidadores feito por voluntários através do apoio e supervisão de Ipsos Apeme Ipsos Apeme

A NOVAMENTE e a sua ação e âmbito nestes 6 anos – Ipsos Apeme
Carlos Liz

Aumentar a área de atuação

Estamos agora a apoiar 660 famílias

Visão para o futuro

Melhorar politicas publicas

Fecho e conclusões finais

“Como vai ser o meu dia?” – Público

O que é que fazemos no nosso dia? Corremos. Deixamos o tempo passar. Damos por garantida a vida que temos.

Assistimos a tragédias, ou a algum acontecimento inesperado a alguém que nos é próximo. Mas não nos toca. A vida é de facto como é, sabemos que amanhã poderá ser diferente, mas hoje não.

Nos últimos 20 anos mais de 200 mil portugueses foram surpreendidos no seu dia-a-dia. No seu hoje em que tudo estava previsto, bem encaixado e encadeado, surge um inesperado acidente. Atropelamento, acidente rodoviário, um objecto de obras que nos cai na cabeça, uma queda – algo que nos faz um traumatismo craniano grave.

E é assim, de repente estamos inconscientes no hospital e nossos pais, irmãos, esposa largaram tudo o que estava previsto para esse dia e foram ter connosco ao hospital.

Este é o início da história das muitas pessoas que a Novamente acompanha.

Pensamos que esta é a fase pior e no entanto… há um grande percurso pela frente.

Ao fim de 3 a 5 anos, que pesam como 30, perdemos os amigos que nos primeiros dias prometeram nunca nos deixar. A família só sabe de nós em momentos chave. No hospital experimentamos vitórias, retrocessos, alegrias, frustrações incríveis. Profissionais que nos tiraram a esperança, ou que repudiaram o mais possível a nossa presença no internamento e profissionais cujas palavras humanas não esquecemos.

O traumatismo afecta o cérebro de forma diferente em cada caso, deixando sequelas que nos modificam. São pouco cobertos por apoios estatais e só 30% chegam ao centro de reabilitação. A vida, depois de ter sido doente hospitalar, passa a ser vida de quem quer reabilitar-se.

Além de ter criado o serviço de apoio contínuo, entrega diferente fase a fase do caminho e do caso de apoio de informação, apoio emocional, encaminhamento para soluções, etc., a Novamente também criou formação de cuidadores para que se capacitem dum papel que nunca imaginaram vir a desempenhar, muito menos na idade madura, com filhos de 30 anos, que inesperadamente deixaram de ser independentes e passaram a deficientes, sem emprego, divorciados, com comportamentos inter-relacionais difíceis, etc.. Aqueles que estavam casados há 5 anos ou menos não aguentam o casamento.

Agora nasce um programa de inserção profissional com o IEFP, que tenciona aumentar a taxa de 30% destes adultos voltarem a trabalhar.

Em vários pontos do país a Novamente criou o o grupo de pares com o objectivo de proporcionar a pessoas que sofreram traumatismo crânio encefálico o desenvolvimento das suas autonomias pessoais através de actividades ocupacionais, terapêuticas e socioculturais de modo a melhorar a sua integração na comunidade e no seio familiar.

Aqui, acima de tudo reaprendem a amar-se, conhecer-se, aceitar-se e a usar técnicas de melhor relacionamento com o mundo. Estamos, juntos, pessoas sem comunicação oral, sem marcha e desorientação neurológica, como pessoas que estão sem nenhuma sequela visível, empregadas, casadas e que aparentemente não saíram do mundo anterior ao seu traumatismo crânio encefálico.

Este é o mundo onde o amor dos pais prova ser incondicional, seja em que circunstancias e idade. Mundo onde quem ultrapassou barreiras impensáveis aprende a valorizar o ser humano por algo que nunca é comunicado ou valorizado nos media ou filmes. É um mundo ou nem interessa se somos diferentes – só interessa se nos amamos e respeitamos, se temos em quem nos apoiar para avançar pela vida com coragem.

Voltamos a pensar que o dia está previsto, mas nunca mais esqueceremos que há coisas que não acontecem só aos outros.

Autor: Vera Bonvalot – Diretora Executiva da NOVAMENTE

Fonte: Jornal Público

“Viver depois de um acidente” – António Maria

O António Maria tem 28 anos e há 5 anos teve um traumatismo cranio encefálico. Depois de uma noite de copos com os amigos, todos resolveram empoleirar-se na camioneta do lixo. António caiu batendo com a cabeça no chão. Pancada que o levou ao coma. Com o apoio da família, amigos e com muita fisioterapia, António consegue hoje, ser praticamente uma pessoa normal.

Veja aqui

“Viver depois de um acidente” – Andreia Filipa

A Andreia sofreu um grave acidente de viação que a deixou em estado vegetativo. Esteve 2 meses e meio em coma e quando acordou não se recordava de nada nem de ninguém. Andreia teve de aprender tudo novamente, mas sente que renasceu e continua a ter os seus objetivos e projetos de vida.

Veja aqui

© 2011 Associação Novamente. Todos os Direitos Reservados.
Desenvolvido por Brandia Central. | RSS –