Recuperação

Recuperação de um Traumatismo Crânio Encefálico

Quem deve receber Reabilitação?

Consequências directas e indirectas da lesão no sobrevivente

Como decorre o processo de recuperação da lesão Cerebral?

O Processo de Reabilitação

Quais os tipos de Reabilitação?

Objectivo da Reabilitação Neuropsicológica

O que são Estratégias de Compensação?

Estratégias para compensar Dificuldades de Memória

Estratégias para compensar Dificuldades de Atenção

Estratégias para compensar Dificuldades de Linguagem

Como enfrentar as suas explosões de agressividade e irritação?

Duração do Processo de Recuperação da Lesão Cerebral

Como Ajudar na Fase Aguda de Reabilitação?

Recuperação de um Traumatismo Crânio Encefálico
Quase todos os traumatizados cranianos passam por um processo de recuperação de grau variável, dependendo da gravidade e número de lesões. A recuperação é mais rápida nas primeiras semanas e mais lenta posteriormente, podendo estender-se até dois anos, após o traumatismo.


Quem deve receber Reabilitação?

Todas as situações de lesão cerebral mesmo as ligeiras devem ser alvo de atenção médica tão cedo quanto possível.

No caso de lesões moderadas a severas é desejável que os programas de reabilitação sejam feitos “à medida” das necessidades individuais de cada situação, articulados por uma equipa multidisciplinar que integra:

– medicina física
– fisioterapia
– terapia ocupacional
– terapia da fala
– terapia cognitiva
– psicoterapia
– psiquiatria / neurologia
– orientação vocacional
– apoio social


Consequências directas e indirectas da lesão no sobrevivente

Os impactos da lesão variam de pessoa para pessoa em função de muitos factores que incluem:

– Factores pessoais
– Factores associados à lesão
– Factores associados à reabilitação.


Físicas
– Problemas de movimento
– Dificuldades na coordenação motora e equilíbrio
– Menor força física
– Lentidão nos movimentos corporais
– Cansaço, fadiga e perdas de energia
– Perda de sensações (sensibilidade ao toque, olfacto, visão)
– Epilepsia pós-traumática

As consequências podem ser:

Cognitivas
– Atenção e concentração: dificuldade em manter-se atento na realização de uma tarefa, ou num pensamento, sendo fácil distrair-se
– Linguagem e comunicação: dificuldades na compreensão do que é dito, ou na produção do discurso; podem surgir problemas na leitura e na escrita.
– Percepção: dificuldade em organizar e compreender informação sensorial.
– Memória: dificuldade em recordar-se.
– Raciocínio lógico: dificuldade em o utilizar o pensamento para resolver problemas.
– Funções executivas: dificuldade em organizar e planear as actividades, dificuldade em iniciar actividades.

Emocionais
Depressão
– Alterações de humor
– Irritabilidade
– Ansiedade

Comportamentais
Impulsividade
– Agressividade
– Apatia
– Falta de iniciativa


Como decorre o processo de recuperação da Lesão Cerebral?
A recuperação pode ser medida em semanas, meses e anos e vai abrandando com a passagem do tempo. Os efeitos da lesão cerebral, normalmente, são de longa duração e a recuperação pode não ser totalmente concluída. Apesar de em alguns casos as pessoas com TCE graves experienciarem dificuldades de longo termo ligeiras, outras pessoas poderão necessitar de apoio e serviços especiais durante o resto das suas vidas.

Nos dias e semanas imediatamente após a lesão cerebral , a função de sobrevivência do tecido cerebral é afectada pelo impacto, hemorragia e/ou mudanças na composição química do cérebro. Por vezes, a acumulação do sangue (coágulos) deve ser removida por operação cirúrgica de forma a reduzir a pressão intracraniana. Nesta fase imediata ao TCE, o objectivo principal passa por controlar o inchaço, manter o sangue fluido e o equilíbrio do sistema químico, de forma a promover o desenvolvimento e manutenção das funções cerebrais. Ainda não é do conhecimento actual, a compreensão de todos os fenómenos que ocorrem no cérebro, nas últimas fases do processo de recuperação. Lentamente começa-se a compreender melhor. Recuperação da lesão cerebral não significa substituição do tecido cerebral destruído. Não existe nenhuma forma conhecida pela qual o cérebro poderá produzir novas células. No entanto, muitas coisas podem ocorrer no sentido de ajudar o tecido cerebral a recuperar as suas funções até ao limite das suas possibilidades. Por exemplo, o tecido cerebral que não foi lesionado tem a capacidade de aprender a desempenhar funções que eram desempenhadas pelas células que morreram. No caso da lesão cerebral, é comum esta ser acompanhada por outras lesões corporais associadas com hemorragias, inchaços e mudanças nas funções. Os efeitos destas lesões simultâneas poderão contribuir negativamente para as lesões cerebrais. Por exemplo, uma hemorragia grande poderá privar o cérebro de oxigénio. O tratamento rápido das lesões associadas poderá ajudar a limitar os danos cerebrais.

A comunidade médica iniciou a compreensão dos mecanismos através dos quais o cérebro recupera das suas lesões.

Os tratamentos actuais estão baseados na compreensão crescente desses mecanismos, embora exista muito por descobrir.

A recuperação também depende do ambiente e motivação do sobrevivente que acima de tudo deverá começar por acreditar que pode e vai melhorar e que deve lutar por si. O papel dos técnicos mas muito especialmente da família é muito importante na transmissão desse esperança e sobretudo na positividade. O drama ou negativismo e rancor, corroem a recuperação. Se não se sentir com capacidades de dar força positiva ao seu familiar contacte a NOVAMENTE para os grupos de encontro que fazemos, muito úteis na força e dicas para a nova vida.


O Processo de Reabilitação
O objectivo central da Reabilitação é capacitar as pessoas com Lesão Cerebral Adquirida para atingir o seu nível óptimo de bem-estar, reduzindo o impacto dos seus problemas na vida de cada dia e apoiar no retorno aos diferentes e mais apropriados contextos de vida.



Quais os tipos de Reabilitação?

Um programa de reabilitação pode incluir: psicoterapia, terapia ocupacional, fisioterapia, hidroterapia, terapia da fala, grupos de suporte ou auto-ajuda e/ou orientação vocacional, que apoiem a recuperação do sujeito com lesão cerebral e a sua família.



Objectivo da Reabilitação Neuropsicológica
A Reabilitação Neuropsicológica pretende apoiar o indivíduo a conseguir o máximo das suas capacidades através do uso de estratégias de compensação. A compensação dos défices cognitivos é um dos principais objectivos da Reabilitação Cognitiva.



O que são Estratégias de compensação?

Apoios para diminuir os impactos das consequências da lesão cerebral.


Estratégias para compensar Dificuldades de Memória:
Use uma agenda na qual possa ver diariamente os seus compromissos.
– Desenvolva uma rotina para as suas actividades e cumpra-a.
– Faça Planeamento – Planear ajuda a diminuir o risco de esquecer-se de algo.
– Crie um espaço para cada coisa e guarde-as sempre no mesmo sítio.
– Pense em tudo o que vais precisar para as suas actividades e coloque numa pasta ou saco.
– Faça listas (lista de compras, lista de tarefas diárias, etc.).
– Use um bloco de notas para registar TUDO o que for importante.
– Use o bloco de notas para verificar o que escreveu.
– Use um sistema de lembretes – telemóvel, despertador, post-its.
– Escola o local mais apropriado para colocar lembretes (ex. o frigorifico é um óptimo local para colocar notas, horários, etc.).
– Repita a informação mais do que uma vez, ensaiar a informação ajuda a recordá-la.


Estratégias para compensar Dificuldades de Atenção:
Evite locais com distracções e ruídos de fundo quando está a realizar uma actividade.
– Faça as tarefas mais complexas no momento do dia em que está menos cansado.
– Evite a realização de várias tarefas em simultâneo.
– Faça períodos de descanso entre as suas actividades.
– Faça intervalos, breves mas frequentes, durante a realização de uma tarefa.
– Reparta em pequenas tarefas simples uma tarefa complexa e faça uma da cada vez.
– Leve o tempo que for necessário para as realizar cada tarefa.
– Faça uma coisa de cada vez.

Estratégias para compensar Dificuldades de Linguagem:
Procure a informação de forma organizada. Por exemplo, quando tentar pensar no nome de uma pessoa, pergunte a si mesmo. “É homem ou mulher?”, “conheço outra pessoa com o mesmo nome?”, ou procure nas letras do alfabeto se o nome começa por A, B, C…

– Quando não encontrar o nome de alguma coisa, não se preocupe. Descreva-a, fale sobre ela ou desenhe-a. Use gestos e sinais associados aquela palavra. O que realmente importa é que nos entendam, não o facto de usar a palavra correcta.



Como enfrentar as suas explosões de agressividade e irritação?
Antecipe as situações que desencadeiam estas situações. Verifique quando, onde e com quem se sente irritado e perde o controlo. Procure antecipar estas situações, preparando-se e tentando modificar a situação para que lhe provoque menos stress.
– Identifique os sinais que lhe indicam que está tenso e irritável: quando os seus músculos se contraem, quando a respiração se acelera ou aumenta a sua impaciência. Este é o momento de mudar a sua reacção normal. Se sentir que vai perder o controlo saia da sala.
– Quando estiver em dúvida sobre fazer algo, não faça nada.
– STOP – retarde a sua acção, não “mergulhe” sem pensar.
– Utilize estratégias de relaxamento para o tranquilizarem: ex. respire fundo; conte até 10, faça um intervalo, retire-se da situação.
– O relaxamento muscular pode ajudá-lo nestas situações.



Duração do PROCESSO DE RECUPERAÇÃO DA LESÃO CEREBRAL
É muito difícil predizer a duração do processo de recuperação após lesão cerebral adquirida, devido à grande variedade de factores que poderão fazer variar essa duração:
– factores pessoais: idade, escolaridade, estado de saúde prévio, etc.
– factores associados à lesão: severidade; extensão da área lesionada; outras complicações associadas; duração da amnésia pós-traumática;
– factores associados ao programa de reabilitação: intensidade (número de horas de terapias por semana), diversidade das intervenções, adequação às necessidades específicas de cada pessoa.



COMO AJUDAR NA FASE AGUDA DE REABILITAÇÃO?
Evite estimulação excessiva

Esta recomendação é especialmente importante nos estádios mais iniciais após a lesão cerebral. Uma pessoa cansada ou fisicamente debilitada entra em fadiga facilmente. A estimulação excessiva poderá provocar agitação e confusão.

Utilize estímulos familiares
Uma pessoa com dificuldades em manter a atenção consegue mais facilmente concentrar-se em algo familiar e confortável do que em algo novo e estranho. Vozes, musica e objectos familiares podem ajudar a pessoa a recordar-se e a reduzir a confusão típica desta fase.

Seja consistente
A equipa técnica, os familiares e amigos devem adoptar uma rotina na relação com a pessoa com TCE.
A relação com uma pessoa confusa, agitada e agressiva é uma tarefa difícil.
É importante adoptar uma forma de relacionamento consistente que promova a calma e diminua a agitação. A adopção de um comportamento intencional, consistente e previsível promove segurança, ajuda a pessoa com TCE a tornar-se emocionalmente controlada, reduz o sentimento de confusão. Seguir uma rotina diária ajuda a pessoa com TCE, na fase aguda a orientar-se e a sentir-se mais segura.

Mantenha a calma
Os familiares e os elementos da equipa técnica de reabilitação devem servir de modelo para a pessoa com lesão cerebral. A tranquilidade de quem acompanha o paciente reduz os sentimentos de confusão e agitação.

Orientações passo-a-passo
Quando a pessoa começa a responder a ordens simples, deve dar uma ordem de cada vez. Esta forma de interagir diminuiu a fadiga e reduz a confusão, promove a memória e transmite um sentimento de sucesso por ser capaz de completar a tarefa.

Evite comparações com o passado
Evite fazer comparações entre o que a pessoa era capaz de fazer antes e depois da lesão cerebral. A melhor atitude é centrar-se no momento presente e no futuro próximo.

Não trate a pessoa como se estivesse diminuída
Utilize frases curtas e simples, mas fale do mesmo modo que o faz com uma pessoa adulta, responsável e inteligente.

Evite argumentações e situações stressantes
Recorde-se que após uma lesão cerebral a pessoa se encontra especialmente sensível ao stress.

Dê tempo para ouvir a resposta
A lentidão na compreensão e o aumento do tempo de resposta é frequente. Dê o tempo necessário para a pessoa responder.

Mantenha o sentido de humor
O sentido de humor tem uma influência muito positiva. O riso provoca bem-estar, quer ao paciente quer aos familiares.

Seja generoso no reforço positivo
Reforçar os progressos e o esforço promove mais progressos. Esta sugestão é fácil de ser recordada quando é uma criança, mas o conselho e a sua eficácia aplica-se também aos adultos.


Que reabilitação profissional existe direccionada para os Traumatizados?

Fazer download dos folhetos do Centro de Reabilitação Profissional de Gaia:
Reabilitação Neuropsicológica (pdf)
Díptico Reabilitação Neuropsicológica (pdf)

Agradecemos ao Centro de Reabilitação de Gaia a cedência deste Guia de Apoio.

© 2011 Associação Novamente. Todos os Direitos Reservados.
Desenvolvido por Brandia Central. | RSS –