Tag: Prevenção Rodoviária

LUSA – Associação Novamente favorável ao uso obrigatório de capacete para condutores de bicicletas

A Novamente manifestou-se favorável à obrigatoriedade do uso de capacete para os condutores de bicicletas, informou o organismo.
É ainda importante a existência de homologação de capacetes que protejam de facto a cabeça
e que existam regras que definam o modo como os capacetes devem ser colocados.

Leia aqui

SAPO.pt – CAPACETE EM VELOCÍPEDES? EM QUALQUER CASO, DEFENDE ASSOCIAÇÃO DE TRAUMATIZADOS CRÂNIO-ENCEFÁLICOS

A Associação Novamente, que presta apoio e acompanhamento a traumatizados crânio-encefálicos e respetivas famílias, defende que o uso do capacete em velocípedes deve ser obrigatório em qualquer caso.

Leia aqui

“use a cabeça – use capacete”_Comunicado NOVAMENTE

A sinistralidade em Portugal é da maior importância para a NOVAMENTE. Os acidentes rodoviários são a principal causa de traumatismo craniano grave nas idades “jovens adultos”.
O traumatismo craniano grave é a principal causa de deficiência ou morte em jovens adultos (segundo a Organização Mundial de saúde), causando sequelas à vitima e à sua família.

Na prossecução da nossa missão, a NOVAMENTE emite parecer sobre o Plano Estratégico Nacional de Segurança Rodoviária (PENSE 2020) e sobre a proposta de obrigatoriedade da utilização do capacete para os condutores de bicicletas.

Veja aqui “PENSE e use a cabeça” e 2) “Carta sobre o PENSE”.

Campanha “Verão também é prevenção!”

Arranca  hoje o roadshow “Verão também é prevenção!”, uma campanha da Fundação MAPFRE, sobre segurança rodoviária, que irá decorrer entre as 21h00 e as 01h00, nas seguintes praias portuguesas:
•  30/07 a 31/07: Cascais
•  01/08 a 02/08: Caparica
•  03/08 a 04/08: Setúbal
•  06/08 a 09/08: Portimão
•  10/08 a 11/08: Faro
•  13/08 a 14/08: Aveiro
•  15/08 a 16/08: Figueira da Foz
•  17/08 a 18/08: Ericeira

Esta iniciativa sobre prevenção rodoviária de cariz formativo e informativo, pretende consciencializar a população jovem para a segurança na estrada e alertar para as graves consequências dos acidentes de viação e para a incompatibilidade entre o consumo de álcool e a condução.

Através de um simulador de capotamento, um simulador de colisão e um teste de equilíbrio e destreza num circuito de obstáculos, a Fundação MAPFRE convida os jovens a fazer um percurso em pista, conduzindo um triciclo e utilizando uns óculos especiais.

Esta e outras iniciativas poderão ser consultadas na página do Facebook da Fundação MAPFRE

Relatório Mundial da Segurança Rodoviária, 2013

A Organização Mundial de Saúde (OMS) lançou no passado dia 14 de Março, o Global Status Report on Road Safety 2013 (Relatório Mundial da Segurança Rodoviária, 2013), no qual Portugal participou, com informação consensualizada e trabalhada por vários parceiros: Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária, Polícia de Segurança Pública, Guarda Nacional Republicana, Estrada Viva – Liga Contra o Trauma, Instituto de Infra-estruturas Rodoviárias, Instituto da Mobilidade e Transportes Terrestres, Instituto Nacional de Emergência Médica e Instituto Nacional de Estatística, sob a coordenação da Direção-Geral da Saúde

Este é o 2º Relatório Mundial sobre Segurança Rodoviária e fornece uma atualização do que foi realizado em 2004, utilizando a mesma metodologia em todos os países  da OMS, por forma a que os dados possam ser comparáveis. Tem como objetivo identificar lacunas para a ação, quer ao nível nacional quer internacional e, no contexto da Década de Ação pela Segurança no Trânsito 2011-2020, fazer um ponto de situação para a monitorização da Década em todo o Mundo.

O Relatório Mundial da Segurança Rodoviária 2013, apresenta informações sobre a segurança rodoviária de 182 países, representando quase 99% da população do Mundo. O Relatório indica que o número total de mortes por acidentes rodoviários, em todo o mundo, continua inaceitavelmente elevado, matando 1,24 milhões de pessoas por ano. Apenas 28 países, representando 7% da população mundial, têm legislação abrangente de segurança rodoviária sobre os cinco principais fatores de risco: condução sob o efeito do álcool, excesso de velocidade, e o não uso de capacetes, cintos de segurança e sistemas de retenção de crianças.

Este relatório serve como ponto de partida para a Década de Ação para Segurança no Trânsito 2011-2020, declarado pela Assembleia-Geral das Nações Unidas.

Consulte o Relatório Mundial da Segurança Rodoviária, 2013

Fonte: Direção Geral de Saúde

Década Global de Acção para a Segurança no Trânsito

A Assembleia-Geral das Nações Unidas declara o período 2011-2020 como a Década Global de Acção para a Segurança no Trânsito. Esta iniciativa da ONU resulta da declaração de situação de pandemia mundial da sinistralidade rodoviária por parte da Organização Mundial de Saúde, que passará em breve de 9ª para 5ª principal causa de morte da humanidade. As diversas organizações, entre as quais a novamente, tornaram-se parceiras com a associação Estrada Viva, para a apresentação da Carta Compromisso para a Década, que é igualmente um repto aos órgãos soberanos do nosso país, para que assumam integralmente a proclamação das Nações Unidas e ajam em conformidade

Mais informações

© 2011 Associação Novamente. Todos os Direitos Reservados.
Desenvolvido por Brandia Central. | RSS –