Zé Maria – “Era uma vez…uma experiência forte”

“Era uma vez… uma experiência Forte

Desde o dia 01 de Outubro de 2015 que comecei um estágio profissional no Centro Social e Paroquial de Carcavelos três dias por semana e todos os elogios que tenho a fazer aquelas pessoas serão poucos. Sabia, sentia, haver um ninho/nicho onde ajudar a melhorar e o CCPC tem sido uma descoberta diária desafiante.

Na cadeira de rodas ou no tripé transito do pavilhão mais antigo, já com rampas, para o mais moderno do refeitório, já com elevador, sabendo estar entre Amigos.

Circular em cadeira de rodas muda o tempo e espaço e tanta gente boa o CCPC tem que não consigo elogiar tantos (são mesmo muitos) que merecem. Tenho o desejo confidencial de subir lá acima, ao primeiro andar, no edifício antigo, durante o ano de 2016, que já avança,

Viver com gente forte melhora-nos e a palavra ‘trabalho’ tem qualquer coisa ali que imprime bem-estar. Ao ver aquelas pessoas trabalhar melhoro a minha experiência de estudante na área social.

A São da direcção do CCPC sempre com uma palavra ou olhar amigo de quem sabe receber. O Mauro e a Zulmira transmitem paz, segurança e confiança; a Rita do GIP (Gabinete de Inserção Profissional) passa boa energia e atividade nos sorrisos bonitos; a Susana é um luxo de ver pensar nas sessões à quarta-feira a coordenar/conduzir as reuniões com as auxiliares de apoio domiciliário: 5 Mulheres com M maiúsculo: Josefina, Rute, Maria José, Vanessa e Tânia.

Falam sempre sobre alguns casos mais importantes, durante algum tempo achei que era muito pesado; depois percebi que brincava-se e tornava-se leve o ambiente, de vez em quando, mas aquilo é sério e ‘não se faz este trabalho sem ser por gosto’ (Mª José)

Aquele escritório no pavilhão mais antigo convivo e aprendo com quatro profissionais muito diferentes mas em que a competência e qualidade são unânimes. Assisto a atendimentos, a pessoas que vida difícil será o mínimo a adjectivar, com cuidados que elogiam o Ser e Existir.

O Lean é um projeto inovador vindo do Japão e ajuda-nos a pensar para além do aqui e agora no nosso umbigo: estamos prontos a ser melhores e a acreditar num Presente que tenta recuperar passados tendo em vista um futuro melhor.

A creche, e pessoal que educa, aparece vincando esperança no futuro. Vivendo ao lado das reuniões da direcção de idosos todas as quintas feiras, com a Isabel a caminhar ao lado com eles, com olhares vincando uma meninice escondida pela idade. Teatro e foclore são outras energias mais vividas na prática a que o Beto e o Agostinho dão talento.

Uma palavra final para o Bernardo que cuida e apoia como vocação e ajuda a aprender a viver. O Luís sempre revigorante, no olhar vivo e conversa acesa, como o café que serve.

E muito ficará por contar e elogiar: tem sido Fascinante: ‘a gente vai continuar’ (J. Palma)”

Zé Maria

© 2011 Associação Novamente. Todos os Direitos Reservados.
Desenvolvido por Brandia Central. | RSS –